segunda-feira, 18 de abril de 2011

Envelhecer

 Sim eu quero. Às vezes não vejo a hora de  viver sem pressa, certa do meu fim, mais intensa que nunca. Quero caminhar com o mundo, na velocidade da beleza, sem mutilações estéticas nem culpas, com a cara de missão cumprida. Não quero estar nas mãos de alguém, nem quero este alguém em minhas mãos: quero estar ao lado, sorrindo com os dentes cheios de histórias, a pele palimpsesto profundo de risadas e lágrimas. Quero envelhecer muito mulher, sem estereótipos, simplesmente desdobrável. 
 Nunca desejei uma juventude eterna, tampouco ser desejada o tempo todo... era julgada na infância por ser uma menina velha demais pra minha idade... é que para mim a velhice parece permissiva e livre de julgamentos. Eu amo viver. Não estou ansiosa pelas rugas e cabelos brancos, estou apenas vivendo absurda e degustando os instantes todos... afinal, não é para isso que estamos aqui?
 Por fim declaro: quero envelhecer como as francesas. Atentai bem, não quero envelhecer na França, quero envelhecer como as francesas, entenda como queiras. E tenho dito.

7 comentários:

Geisson disse...

Curti o blog,

to seguindo, retribui!

abraços,
http://devilge.blogspot.com

Arianne disse...

Envelheça Anais Nin, com rendas sobrepostas sobre o corpo e um histórico histérico entre as pernas. ;)

Beijos.

George Dantas disse...

Schopenhauer sempre foi mt criticado por dizer que o ser humano começa a morrer a partir do momento que nasce! As pessoas vivem em uma eterna busca pela juventude prolongada, mal sabendo o que a velhice traz de bom!

Iana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Iana disse...

Me impregnou.
Como é bom caminhar por essas bandas.

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Em.ver.lhe.ser...
Mas seja por favor...

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Em.ver.lhe.é.ser soa melhor rsrs...