quinta-feira, 14 de agosto de 2014

De onde vêm os leões


Um leão silente, ignorante de si
apresenta-se ao sol, sem sabê-lo sol
Seu pelo amaciado, sem nomear texturas
seu olhar imponente, força de desconhecer,
atravessa uma retina
a minha
E na presente hora, instante consumido
me leva ao desejo de perecer

2 comentários:

Ariel Legrand disse...

Laís, suas poesias são fantásticas! Li todas deste blog. Sim, daqui fui até 2007... Enfim, você é um talento enorme e eu gostaria de lhe fazer um convite. Na verdade, um convite às suas poesias rs. Por favor, me mande um "alô" por e-mail que eu explico tudo. Meu e-mail é ariel.legrand arroba gmail ponto com. Beijos!

Celso Mendes disse...

Um grande prazer conhecer teus textos. Este ilustra muito bem a destreza com que trabalhas as imagens. Tive oportunidade de conhecer outros poemas teus no site DezPoesias, do ArielLegrand, onde também há alguns meus, e gostei muito mesmo de teu estilo. Voltarei...