quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

sobre ser sociável...

Conversas curtas te convém, te convidam para encontros que nunca acontecerão: 'me liga, tá?'
E aí você, ingênuo, espera e liga de volta
e liga de volta
e fica envolto em mais uma névoa ridícula, em mais um disfarce que esconde a parte mais gostosa dos seres sociáveis: a sua solidão.
Os seres sociáveis deglutem solidão a cada instante: deglutem em sorrisos programados; em apertos de mãos frouxas que não se reconhecem...
Os seres sociáveis escondem as paredes rachadas de suas casas.
Os seres... Ah os seres sociáveis..., são tão belos, tão belos cabelos pervertidamente transformados, os corpos adequados, os sentimentos travestidos...
Os seres sociáveis trabalham muito, seriamente: não há espaço para gostar ou querer...
Os seres sociáveis só se entorpecem de bebidas altamente recomendáveis, de medicamentos receitados pelos seus psicopatas, de cigarros escondidos e outras sacanagens: tudo o que se esconde por detrás da maquiagem, vale tudo no sabor da sociedade.
Os seres sociáveis são os aceitos, os perfeitos, que quando se dão as costas se costuram, se cortam, se mordem, se tostam, se comem e fazem as melhores e mais maldosas prosas uns sobre os outros.
S o c i a v e l m e n t e, é claro!
Os seres sociáveis não podem, não devem respirar paixão.
Não podem não devem revelar solidão: é sempre demonstrado o mais pleno, belo e feliz sentimento.
Casados, solteiros, sociavelmente discretos não podem sair do contexto.
Têm de usar o bom senso. Fazer de tudo um comentário. Sair na foto, abrir o armário, calçar sapato, arrumar cabelos, o olho, comprar mais espelhos, sorrir o tempo todo.
Ah!
Por favor!
Não quero ser sociável, já me bastam as desgraças mundanas...
Prefiro me nutrir de amor, sacudir os ombros em desdém apaixonado...
Prefiro me segurar com força nos cabelos da vida... me mostrar, me contradizer deliciosamente...
Humana, cicatriz na Terra.
Prefiro ser.
Ser.
É.


Laís Romero

6 comentários:

L-nise disse...

Frouxas... Trouxas.

T2A disse...

Parabens!

Pensamentos Demasiados de Lucidez... disse...

belo texto sobre a realidade estupidamente transparente e escondida!
é sempre bom vir aqui!

Jota Pê_The disse...

" Ah!
Por favor!
Não quero ser sociável, já me bastam as desgraças mundanas... "

Isto me convém muito. Já seria o bastante para me admirar e ter amizade por seus traços poéticos. Parabéns,... e, ademais, siga - mas siga a si mesmo por você própria!

Kapila disse...

(...) mas que uma mordida bem gostosa é boa, ah! isso é....

Cacau disse...

Bela descrição.
Parabéns.