segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Hoje estou presa no mangue tenebroso ( ou traduções sem utilidade aparente)

Seria interessante se eu conseguisse escrever mais diretamente o que pretendo. O grande problema é que sou muito sentimentos e todo mundo sabe que escrevemos com palavras e não com sentimentos.
O que pode ser feito de tamanho disparate?
...
Fico a flutuar em imensas horas gritantes
dependurada nos ponteiros dos relógios que esmagam os solitários,
(mas eu não pareço solitária) por isso mesmo é que estou a perecer.
Todos os dias atravessando becos construídos pelas metades: muros concretos em ruas imaginárias.
E acordar quando o que eu queria mesmo era dormir bem, e muito, e espantar os pesadelos com beijos, e mãos que segurem as minhas.
Vigiar o sono dos que me fazem sofrer de amor: é tão difícil sobreviver a um ser amado!
Sussurrar em desabamentos, ter a angústia expelida em horas não escolhidas, o terrível alívio de traduzir algo, mesmo que mudem os sentidos, mesmo que não seja entendido nunca.
Procuro enfim:
vestir o meu terno ser poeta e gritar as mais sonoras extensões de mim.

4 comentários:

Zorbba Igreja disse...

Maravilhosa extensão Laís Romero.

.Carmim. disse...

"Escrevemos com palavras e não com sentimentos"

Acredito que quando escrevemos sobre nossos sentimentos, é como se o coração e a cabeça funcionassem juntos.

Difícil conseguir explicar com palavras, usando o nosso lado racional, aquilo não é tão racional assim.
Mas acredito também que os melhores textos que já lí, são os que nos tocam nessa parte irracional, transmitindo sentimentos com as palavras. Como se uma coisa não fosse possível sem a outra.

Parabéns pelo blog! Gostei muito =)

David Leão disse...

Oração sentimentativa subjetiva direta.

Lucas C. disse...

laís tem uma surpresa pra ti em meu blog,

veja!

(: